terça-feira, 27 de março de 2012

Nicolina da Costa Mattos

Minha bisavó... Nicolina, filha de uma escrava.
Seu pai foi o famoso senhor de engenho, o coronel e promotor
"Nicolau da Costa Mattos",
fazendeiro forte da época, tinha fazendas de café, cana de açucar e gado... da região de Manhuaçu e Alto Jequetibá - MG

Minha bisa disse certa vez que, ela ficava na fazenda na casa de seu pai e tinha todos os privilégios por ser uma filha muito querida e amada era bem tratada e muito "mimada" e que muitas pessoas implicavam com ela por causa disto, porque seu pai tinha outros filhos com outras escravas e eles não podiam ficar na Casa Grande. Ela contava tambem que sua mãe era a cozinheira do senhor seu pai, pessoa de confiança dele e que sua mãe tinha uma voz linda que cantava e encantava o senhor Nicolau e eles se apaixonaram!

Antigamente, para se casar, eram os pais que escolhiam os pretendentes para suas filhas. Mesmo sem se conhecerem, para saber se iam gostar um do outro ou não, como futuro marido ou esposa, mas sabiam que seria para sempre.




















Com apenas 12 anos teve que se casar com
João Conrado Eler filho de Henrique Conrado Eller imigrante alemão.
Era ainda criança que brincava de bonecas.^
Mas,
era o costume da época.

Teve 3 filhos:

01 - Albertino Conrado Eller (meu avô)

02 - Maria Mattos Eller

03 - Pastor Tito Eller Mattos


Nicolina, na verdade não foi feliz no casamento, eles se separaram e ela enfrentou sérias situações, sabe Deus porque... ?

Nicolina na sua velhice, foi morar em nossa casa, meu pai Jair e minha mãe Emília, deram a ela o maior carinho e apoio, em Governador Valadares Ela gostava de passear nas casas dos parentes e ajudava minha mãe na cozinha fazendo as refeições, morou até o final de sua vida.
Interessante minha bisa, não mudou o modo de se vestir, ela usava duas anáguas engomadas por baixo da saia longa, toda franzida na cintura o comprimento era até nos tonozelos e sempre usava bluzinhas com mangas compridas cheias de rendinhas e babadinhos.
Morou em Alto Jequitibá e depois em D. Cavate - MG

Era evangélica e frequentava a Igreja Batista, amava ir na igreja.
Eu a achava linda!
Era de muito bom gosto.
Era muito cuidadosa com seu visuual.
Era crocheteira...
Gostava de fazer barras de crochê com linha de carretel branca com as palavras por exemplo: "amor, amizade..." para dar de presentes para as amigas.

Faleceu em dezembro de 1967 com 92 anos.

Saudades eternas!

Mariana Eler

6 comentários:

  1. Depoimento que recebi de minha irmã, Irene.

    Vovó Nicolina, nossa bisavó
    Vovó Nicolina morava em nossa casa.
    Papai era seu neto.
    Ela tinha um quartinho para ficar a vontade em nossa casa em Gov. Valadares. Todos os dias ela pegava sua malinha daquelas bem antiga, tirava as roupas dobrava-as e colocava na mala de novo. Sempre suspirando.
    Eram poucas as suas roupas.
    Uma vez fui com ela em D. Cavate para visitar o vovô João. Ele morava em uma fazenda de uma das filhas de D. Cecília Caldeira.
    Subimos muitos morros até chegar lá.
    Ele era um homem alto, magro, de óculos
    redondos, e não ouvia direito.
    Eles conversaram por muito tempo.
    Foi a única vez que vi o vovô João Eller nosso bisavô.


    Irene Eler

    ResponderExcluir
  2. Na Paroquia de São Lourenço em Manhuaçu tem um livro de casamentos com casamento de João Conrado Heller e Nicolina da Costa Mattos em 26/6/1889,ele filho de Henrique Eller e Julia Laubach,ela filha de Nicolau da Costa Mattos e Ana Avelina dos Santos

    Jose Olinto Manhuaçu MG

    ResponderExcluir
  3. Nicolau da Costa Mattos,foi politico,vereador,presidente da Cãmara de Manhuaçu(equivalente a prefeito),Coronel,Delegado de Policia

    José Olinto Manhuaçu

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Bonita história. Nossa família está repleta de boas e abençoadas histórias. Graças a Deus

    ResponderExcluir